pesquisar
 
links
Quinta-feira, 22 de Abril de 2010
A Casa de Bernarda Alba

 

Sábado, 24 de Abril de 2010 pelas 21:45 no Auditório Municipal Galécia - Braga

ingressos: 2 €

 

A Casa de Bernarda Alba

Espectáculo resultante da formação Tin.Bra “Curso Livre de Teatro II”

 

Em A casa de Bernarda Alba, seu único texto de teatro escrito em prosa, Lorca recorre ao simbolismo para realizar uma nova investida no teatro. Bernarda Alba, personagem central do texto, é uma matriarca dominadora que mantém as cinco filhas, Angústia, Madalena, Martírio, Amélia e Adela sob vigilância implacável, transformando a casa onde vivem, num pequeno povoado em Espanha, num caldeirão de tensões prestes a explodir a qualquer momento.
Com a morte do seu segundo marido, Bernarda decretara um luto de oito anos e submete suas filhas à reclusão dentro das frias paredes da sua casa e das janelas cerradas. Duas das raparigas, porém, apaixonadas por um mesmo galanteador das redondezas, um rapaz de vinte e cinco anos chamado Pepe Romano, desencadeiam no meio daquele luto uma disputa cruel e perigosa para conquistarem o amor daquele mesmo homem, com consequências trágicas.
A construção central do drama de Lorca – a casa na qual uma família de mulheres solitárias é controlada por uma mãe centralizadora e tirânica – teria sido inspirada por uma família da pequena cidade granadina de Valderrubio, onde os pais do poeta tinham uma propriedade rural e conheceram certa Frasquita Alba, mãe de quatro filhas às quais comandava com mão de ferro e um homem de nome Pepe de la Romilla, que se teria casado com a filha mais velha de Frasquita por seu dote e, posteriormente, envolvido com a mais jovem das irmãs. Dessa história real, Lorca apropriou-se da ideia de uma casa sem homens para compor o tema central de La Casa de Bernarda Alba, seja qual for o lugar da mulher na sociedade espanhola.

 

Elenco: Ana Fernandes como Angustias, Daniel Gomes como A Criada, Diana Aires como La Poncia, Joana Barros como Adela, Joana Martins como Bernarda Alba, Lídia Lopes como Maria Josefa, Luísa Monteiro como Madalena, Margarida Lopes como Mendiga, Adelaide e Prudencia, Sofia Monteiro como Amelia, Vânia Silva como Martirio.

 

Adaptação, Encenação, Concepção Plástica, Desenho de Luz, e Formação:  Wagner Kosisck

Equipa técnica de iluminação e sonorização: Alfredo Gaspar / André Gaspar / Fátima Gaspar

Guarda-roupa: Centro de Criatividade da Póvoa de Lanhoso & R. M. Cruz

Caracterização: Vânia Silva

Produção: Tin.Bra

duração: 70 minutos / maiores de 12 anos

 




blog do Tin.Bra:
publicado por: Alfredo Gaspar / Tin.Bra às 01:03
| deixe o seu comentário | favorito
Apoios Institucionais
Tin.Bra

Ir para o topo






Seja bem-vindo(a) ao blog do Tin.Bra

Hoje é:



Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
Tin.Bra / Braga - Portugal / Tel/Fax +351 253 104 221 / Mobile: +351 919 669 658 / tin.bra@clix.pt
O Tin.Bra é membro fundador da Fundação Portuguesa de Teatro